Repositório UNIFEI UNIFEI - Campus 1: Itajubá PPG - Programas de Pós Graduação Dissertações
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.unifei.edu.br/jspui/handle/123456789/1270
Tipo: Dissertação
Título: Efeito das cianotoxinas cilindrospermopsina e microcistina sobre o ciclo de vida de Chironomus xanthus (Díptera, Chironomidae).
Autor(es): EMYGDIO, Sara Aparecida Borges
Abstract: O enriquecimento de corpos d’água com o aporte de nutrientes provenientes de atividades antrópicas pode culminar com o surgimento de florações de cianobactérias tóxicas. Tal fenômeno pode afetar toda a biota aquática após lise celular, incluindo os organismos bentônicos. As espécies Cylindrospermopsis raciborskii e Microcystis aeruginosa são produtoras em potencial das cianotoxinas cilindrospermopsina (CYN) e microcistina (MCYST) respectivamente. Com o intuito de avaliar efeitos agudos e crônicos sobre alguns aspectos do ciclo de vida do organismo bentônico Chironomus xanthus, no presente trabalho larvas dos instares II e III foram submetidas aos extratos celulares tóxicos e não tóxicos das espécies selecionadas, a uma concentração celular correspondente à floração (106células/ml), previamente cultivadas em laboratório. Os atributos avaliados foram mortalidade, crescimento (avaliado pela largura da cápsula cefálica) e acúmulo de toxinas. Efeitos agudos quanto à mortalidade não foram observados entre os estágios larvais de C. xanthus, em exposição aos extratos celulares de ambas as cepas. Porém, a largura da cápsula cefálica indicou retardo no crescimento dos organismos expostos a cepas de M. aeruginosa e estímulo as submetidas à C. raciborskii. Efeitos crônicos também puderam ser observados por meio da largura da cápsula cefálica, sendo também estimuladas quando expostas as cepas de C. raciborskii, e contrariamente aos efeitos da exposição aguda, os organismos também tiveram crescimento estimulado, o que pode inferir um possível processo de adaptação ou mesmo de detoxicação quando expostos a um período maior. C. xanthus acumulou mais CYN (35,97 e 29,67 ng/mg ínstares II e III, respectivamente) comparado à MCYST (0,04 e 0,15 ng/mg ínstares II e III, respectivamente) exibindo diferença de acúmulo entre os estágios de vida. Tratam-se dos primeiros relatos sobre os efeitos de cianotoxinas numa espécie nativa tipicamente bentônica.
Citação: Efeito das cianotoxinas cilindrospermopsina e microcistina sobre o ciclo de vida de Chironomus xanthus (Díptera, Chironomidae).
URI: https://repositorio.unifei.edu.br/jspui/handle/123456789/1270
Data do documento: Abr-2011
Aparece nas coleções:Dissertações

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
dissertacao_0039062.pdf732,52 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.