UNIFEI - Campus 1: Itajubá PPG - Programas de Pós Graduação Teses
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.unifei.edu.br/jspui/handle/123456789/2126
Tipo: Tese
Título: Microesferas de poliglicerol contendo fumarato de dimetila e curcumina para aplicação na terapia da esclerose múltipla defesa
Autor(es): SILVA, Priscila Veloso da
Abstract: A esclerose múltipla é uma doença autoimune e crônica caracterizada pela desmielinização dos neurônios no sistema nervoso central. Trata-se de uma doença incapacitante ao longo do tempo e cujas terapias podem provocar diversos efeitos colaterais. Este trabalho propõe uma alternativa ao tratamento da esclerose múltipla a partir do desenvolvimento de microesferas de dendrímero de poliglicerol carreadoras de fumarato de dimetila e de curcumina. Inicialmente, as microesferas foram caraterizadas por meio de MEV, FTIR, TGA e DSC. Foram determinados o grau de intumescimento e a energia de ativação das microesferas de PGLD (G10, G25, G50, G100 e G200). Os resultados dessas análises mostraram que as microesferas porosas, G100 e G200, de menor e maior tamanho, respectivamente, eram as mais adequadas para a formação dos compostos. Foram avaliadas a porosimetria desses grupos e a biocompatibilidade por meio de ensaios de citotoxicidade e hemocompatibilidade in vitro. O estudo teórico de ancoragem molecular mostrou que a formação dos compostos foi espontânea, sendo que, o composto com curcumina (-23,8 kJ/mol) apresentou maior afinidade em comparação ao composto com fumarato de dimetila (-11,3 kJ/mol). Os compostos, DMFPGLD e CUR-PGLD, foram preparados e, posteriormente, caracterizados por FTIR e avaliados os perfis de liberação. Os espectros de FTIR sugeriram a interação dos compostos devido ao aparecimento de bandas de absorção características das moléculas precursoras nos compostos. Em geral, o estudo de liberação determinou o mecanismo de transporte super caso II. Foi observada uma retenção maior nos compostos com curcumina, isso porque as curvas se apresentaram menos acentuadas ou com liberação mais tardia. Em conclusão, sugere-se que a formação de compostos entre microesferas porosas de dendrímero de poliglicerol (G100 e G200) e os ativos (fumarato de dimetila e curcumina) seja uma alternativa para a liberação controlada no tratamento da esclerose múltipla, com o intuito de diminuir os efeitos colaterais. Entretanto, os compostos com curcumina tiveram resultados mais favoráveis a sua aplicação, em virtude de sua maior afinidade e retenção.
Citação: SILVA, Priscila Veloso da. Microesferas de poliglicerol contendo fumarato de dimetila e curcumina para aplicação na terapia da esclerose múltipla defesa. 2019. 98 f. Tese (Doutorado em Materiais para Engenharia) – Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, 2019.
URI: https://repositorio.unifei.edu.br/jspui/handle/123456789/2126
Data do documento: 5-Dez-2019
Aparece nas coleções:Teses

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_2020009.pdf304,92 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.